Humor or not humor this is the question

imagesO humorismo é o desastre transformado em chiste. É como um trem invadindo uma estação, só que com nariz de palhaço.
É uma espécie de filosofia feita por padeiros ou o mercado automotivo gerenciado por micos de circo. Isso é o humorismo, uma espécie de caos controlado sublimado por um camelo desenhado que torna-se vivo e entra no buraco vendido pelas indústrias ACME.
O humorismo não precisa fazer sentido, não precisa fazer sons saírem de seus ouvidos rumo a uma inspiração, ele precisa tornar o sério ridículo, o sagrado profano, o solene em patético.
O humor é como a batina do padre levantada por uma lufada de vento revelando cintas ligas e sapato alto.
images2A função primeva do humorismo não é fazer rir pela graça, mas pelo grotesco. E a confusão que fazem do grotesco com exposição de anão é que o grotesco não tem nada a ver necessariamente com o nitidamente deformado, mas com o que é deformado na normalidade.
O humor inglês é danado pra usar o lorde clássico como exemplo do ridículo, ou a senhora de idade “fofinha” como exemplo do ridículo e é um exemplo clássico que o humor não é fazer gracinha, mas demolir solenidades.
Muita gente acha humor dizer que todo viado é surdo, eu já acho que humor é saber que nem todo viado é surdo, mas também saber que quem acha engraçado dizer que todo viado é surdo é antes de tudo um babaca.
images4Humor não tem a ver com rir necessariamente, mas com incomodar, só que o incômodo da sustentação do status quo é o choque da violência que o status quo precisa para se manter, o incômodo do humor é antes de mais nada o incômodo do desequilíbrio ao descer a escada.
Humorismo é assim, uma espécie de Papa usando pé de pato e assoviando o hino do Flamengo no meio da missa do Galo, é como  a presidente da República se assumindo Argentina e largando tudo pra lá porque resolveu encenar Cats na Broadway, é como o Malafaia se assumindo Gay e carnavalesco e assumindo o carnaval da Unidos da Tijuca.,
Humor que não sacode as estruturas não é humor, é gracinha. E gracinha qualquer cunhado faz. Todo Poodle faz gracinha. Humor é outra história.

Piadas

piadaPiada é que nem cu só se deveria dar a quem pede.

Piada também, dada a proximidade com cu, é que nem peido, não é algo que se deva soltar no elevador assim, em público, sem nem perguntar se pode.

Piada é cosia séria, se todo mundo soubesse fazer não haveria a profissão de humorista.

Aliás, o maldito desgraçado que criou o mito do brasileiro como um “povo engraçado” deve ter sido inglês e isso deve ter sido uma piada. Depois dessa o brasileiro não só não entendeu a piada, como acreditou que era verdade. Depois o lusitano é que é uma anta.

images (3)E ai criou-se o piadista de rua, o piadista-moleque, o piadista-arte. e somos alvo cotidiano de piadas como se piada fosse oxigênio e precisássemos dela para viver

Vamos lá, leiam meus lábios: Não precisamos de piadas pra viver, nem de bom dia. é possível inclusive não rir um dia inteiro  nem querer isso, viu? Se não tá na constituição devia estar.

Quando a piada se tornou item obrigatório no cotidiano e o “engraçadinho” virou uma papel social relevante na sociedade brasileira o caos começou a por suas manguinhas de fora e passei a acreditar em apocalipse. O adágio “Perco a piada, mas não perco o amigo” devia conter o adjetivo “boa” junto, porque o povo anda perdendo amigo aos montes com piada meia boca.

O engraçadinho e a saúva são os males deste país!

Piada é coisa séria, gente, mas não é obrigatória, não vem na cesta básica. Aliás, tinham de inventar um profissional pra dizer pras pessoas: Você não é engraçado! (Se escrever isso nos coments do blog vai dar merda, viu?).

Vamos lutar por um mundo com piadas moderadas, pela restrição das propagandas com piadas, pelo fim dos programas humorísticos na TV aberta, pela desapropriação do Comedian Club, vamos sequestrar o Marcelo Tas e colocá-lo na cama com Sarney.

images (4)Vamos sair às ruas como o cansei.. ops, o cansei não. Vamos sair nas ruas como os petistas que lutam contra o golpe do mensalão! Como? Não foi golpe? Ninguém saiu às ruas?  Ok, esquece essa. Vamos sair às ruas como os .. os.. ninguém mais sai às ruas?  Então vamos ficar em casa e escrever protestos veementes em nossos blogs e xingar muito no twitter, mas façamos algo.

Por um mundo sem engraçadinhos!